Seguidores

domingo, 8 de abril de 2012

Meu nome é ódio




Fui cuspido pela vida.
Assim se deu meu nascimento
Ao lado das baratas num chão de concreto .
O dia era frio e a frieza em minha vida persistiu
Fui acolhido pelo diabo e por ele não sou nenhum pouco grato
Porque eu seria anjo bem rápido
Mas pra ser anjo precisaria morrer
E da morte ele me salvou , desgraçado !

Nunca conheci meus pais
Me fizeram sem amor , apenas movidos pelos genitais .
E agora aonde eu estou ?
Estou no cuspi que me gerou
Assim o tempo passou
No orfanato meu ódio aumentou
Lá meu comportamento ninguém aceitou
Mas logo cedo fugi
E fiz a minha vida nas ruas
Nos delitos e na sobrevivência
Logo me tornei uma ameaça
Mas antes eu já era uma decadência .

Meu nome é ódio
e uma força maior me faz escrever este poema
do menino que nasceu e foi trocado por uma moeda.
E eu cheirava cola , cheirava mesmo
Me mantinha vivo na plenitude da minha consciência .
Porém todo efeito era rápido e logo chegavam os ratos
Trazendo a solidão pro meu mundo
A ficha caia e percebia que era imundo .

Apanhava da polícia
Apanhava dos bandidos
Apanhava dos meninos
Apanhava dos políticos
E enfim , apanhava da vida e contava o momento da minha partida

Até que um dia
Inventei de roubar uma padaria
Não dei por mim que estava perto da polícia .
Me perseguiram , corri feito um porco fugindo da morte
Corri até onde não podia ,
na estrada , atravessei o sinal verde
E um carro de luxo " Maserati Merak" me levou para os anjos .
Um carro de luxo interrompe uma vida miserável
Mas finalmente eu seria curado !
Essa era a minha perspectiva de vida , meu melhor momento .
Sete anos de vida para enfim ter um descanso eterno .

Todo dia nasce um ódio
Todo dia morre um ódio
Meu nome é ódio
Meu nome era ódio
Este é um poema de amor . . .


Autoria : Caio Fazolato
Imagem: Google

6 comentários:

Ivone Poemas disse...

Muito rico de sentimentos esse poema de amor, mas que mostra a dor, essa que infelizmente faz parte do mundo de muita gente que as gentes esquecem do que realmente é ser gente de verdade!
Poético e tocante!!!
Abraços amigo poeta de alma linda!
Ivone

Smareis disse...

Seu texto mostra uma realidade dura e crua.
Um poema digno dos mestres! tem inspiração, profundidade, emoção...
Suas palavras são como água cristalina. Goteja sabedoria!

Grande abraço pra ti.
Ótima semana!

Pedrofransilva disse...

Caio deixei de escrever mas hoje algo e indignou e resolvi escrever um post, o fim de tudo vi que teria que dedicá-lo a você, vá lá e de~e uma lida, claro que se tiver afim!
Abraço!
Comungo com vc a indignação sobre a superficialidades das palavras disfarçadas em beleza!

Severa Cabral(escritora) disse...

Meu querido e amado Caio!
O mundo ferve como um caldeirão onde o borbulhar de gritos humanos nos torna mais animais.
As injustiças entre os homens tornou-se uma arma que se encontra cada vez mais a nossa disposição...
No poetar se transmite tudo em forma de lindo com a essência da tristeza...
bjs amigo querido!

Patrícia Pinna disse...

Caio, amado. Que foto forte essa que você escolheu! Quanta tristeza esse menino está a sentir representando todos os meninos do mundo!
Para mim, a foto é perfeita, bem como o poema, que vindo de você, eu somente poderia esperar um poema crítico desse porte.
Sei que és talento puro, e me orgulho demais disso, da sua sabedoria ao escrever, dos pontos que você pega para desenvolver o que escreves.
A temática é sempre louvável, profunda, e muitas vezes, parece-me até vivida por ti.
Eu vejo como se você incorporasse cada pessoa dos seus poemas, tamanha energia que emprega neles.
Todo dia nasce e morre um ódio, infelizmente, pois são poucos os projetos sociais, o interesse do Governo para que vejamos menos ódios nas ruas, e sim em famílias acolhedoras, dando uma condição digna de vida, e não a miserabilidade que constantemente vemos por aí!
A paz para muitos deles, deve ser mesmo a morte, pois nem todos conseguem aguentar o flagelo em que vivem, e a desumanidade das pessoas em geral, e a lei da rua, sempre cruel.
Não tenho mais a acrescentar, você foi, repito, PERFEITO!
Acredite sempre no seu talento, pois você o possuiu na PROFUNDIDADE E NÃO NA SUPERFICIALIDADE DAS LETRAS!
Um beijo imenso na sua alma, e fique na paz!

NOEMI disse...

Nossa Caio senti uma dor dilacerante...seu poema é um punhal cravado no coraçao...Querido a hora que eu me recuperar do baque eu volto bjs